Português Italian English Spanish

PRF e PC prendem quadrilha de estelionatários na Serra Gaúcha

PRF e PC prendem quadrilha de estelionatários na Serra Gaúcha


Eles se passavam por funcionários do Banco Central para recolher cartões

Bento Gonçalves - Na tarde desta quinta-feira, 30, em uma operação conjunta da Polícia Rodoviária Federal(PRF) e Polícia Civil(PC), foram presos quatro estelionatários, apreendidas máquinas de cartões, dinheiro, veículos e cartões de crédito e débito. As prisões ocorreram em Bento Gonçalves e Vacaria.

Após o registro de ocorrências realizado por várias vítimas de estelionato, a PC identificou um dos veículos utilizados pelos criminosos, e repassou a informação para a PRF.

Por volta das 13h desta quinta-feira, 30, na BR 470, em Bento Gonçalves, agentes da PRF abordaram um KA, de propriedade de uma locadora de veículos. No carro estavam dois homens, ambos com 26 anos, transportando diversas máquinas de cartão e R$ 5.174,00 em dinheiro. Eles haviam sido filmados aplicando o golpe em algumas pessoas, utilizando roupas e bonés que também foram encontrados no carro.

Com as informações obtidas com a prisão, os serviços de inteligência da PRF e de investigação da PC descobriram outro veículo utilizado pela quadrilha, um Argo, também locado. Algumas horas depois em Vacaria, os policiais abordaram o carro e prenderam outros dois criminosos, em de 30 e outro de 40 anos, também com diversas máquinas de cartões utilizadas no golpe.

Os presos, o material apreendido e os veículos foram apresentados à Polícia Judiciária.

Como era realizado o golpe

Um criminoso ligava para as vítimas simulando ser funcionário de uma loja e informando que o cartão da vítima havia sido clonado. Ele obtinha dados das vítimas e informava que um funcionário do Banco Central iria a casa dela para recolher seus cartões e encaminhar para a perícia.

Outro criminoso ia até a casa da vítima, dizendo ser funcionário do Banco Central, e recolhia seus cartões. Eles utilizavam os cartões para compras, inclusive através das máquinas que eles possuíam, cuja origem será investigada.

A quadrilha age em várias regiões do Estado e as investigações continuam para descobrir os outros envolvidos e prendê-los.