Português Italian English Spanish

Vereadores encaminham Projeto de congelamento de subsídios para legislatura 2021-2024

Vereadores encaminham Projeto de congelamento de subsídios para legislatura 2021-2024


Autoria é do vereador Denir Gedoz e Alef Assolini

Carlos Barbosa – Em sessão ordinária da Câmara de Vereadores desta segunda-feira, 27, foi encaminhado o Projeto de Lei que fixa os vencimentos dos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores para a legislatura 2021-2024. O congelamento dos subsídios se dá em virtude da atual situação econômica. Luciano Baroni, (MDB), ressaltou que não há a mínima condição de aprovar os reajustes para a próxima legislatura o que faz com que os próximos agentes políticos permanecerão com os mesmos vencimentos.

Vereador Denir Gedoz, (MDB), cobrou da população de que cada um precisa fazer a sua parte e que a fiscalização deve crescer nos próximos dias pois não adianta ter decretos e não respeitar.

Vereadora Rosália, (PDT), em seu pronunciamento na tribuna cobrou do executivo um canal de comunicação ativo também nas noites e no final de semana para que denúncias possam ser feitas. Segundo a vereadora, festas estão acontecendo na cidade e quem não está se cuidando são os jovens e não os idosos. Na opinião da vereadora o governo municipal tem que endurecer e começar a punir.

O vereador do PP, Fábio Dolzan, cobrou atitude do comércio que segundo ele, muita gente não está cumprindo e nem oferecendo álcool gel situação essa que foi rebatida pelo vereador Baroni dizendo que são poucos que não estão cumprindo e não todos. Essa opinião também foi compartilhada pelo vereador Kirch, PP.

 

As cadeiras do plenário Evaldo Loose receberam destaque pelo vereador Luciano Baroni, (MDB), segundo ele, esses moralistas que batem nas redes sociais deveriam ir bater no STF. São pessoas más intencionadas na cidade que estão fazendo uma crueldade com os vereadores e que antes mesmo de iniciar a pandemia, a reforma de algumas cadeiras do Plenário já tinha sido cancelada. O Fato foi publicado em um jornal da cidade informado de que a Câmara teria gasto mais de 15 mil reais em reforma do Plenário, algo que não aconteceu, segundo a Presidente, Lucilene Marchi