Português Italian English Spanish

Hospital São Roque adota novo modelo de triagem no pronto socorro

Hospital São Roque adota novo modelo de triagem no pronto socorro


Protocolo Manchester garante a prioridade aos pacientes mais graves

Carlos Barbosa -  Nesta semana, o Hospital São Roque (HSR)  colocou em prática um novo formato de triagem de pacientes no seu Pronto Socorro. O Protocolo de Manchester, método utilizado pelos principais hospitais do mundo, garante que pacientes mais graves sejam priorizados em relação aos casos menos urgentes, oferecendo mais qualidade e segurança à assistência. 

“A decisão pela implantação faz parte de uma série de ações que estamos implantando no Hospital São Roque para oferecer cada vez mais serviços de excelência à nossa comunidade. As melhorias em estrutura, qualificação e metodologias andam lado a lado na instituição”, descreve a diretora do HSR, Cátia Argenta.

Como funciona 

O novo método de triagem propõe uma avaliação do quadro clínico do paciente logo na chegada e, a partir da identificação das suas reais necessidades, realiza a classificação de gravidade de cada caso a partir do seguinte sistema de cores: 

Vermelho:  Emergência – casos gravíssimos, com necessidade de atendimento imediato.

Laranja: Muito Urgente – Caso grave, com necessidade de atendimento o mais prontamente possível. Tempo máximo de espera: 10 minutos. 

Amarelo:  Urgente – O paciente precisa de avaliação. Não é considerada uma emergência, já que possui condições clínicas de aguardar. Tempo máximo de espera: 60 minutos. 

Verde:  Pouco urgente – Caso menos grave, que exige atendimento médico, mas pode ser assistido ambulatorialmente no consultório médico. Tempo máximo de espera: 120 minutos. 

Azul:  Não urgente – Caso de menor complexidade, sem problemas recentes. Este paciente deve ser acompanhado no consultório médico ambulatorialmente. Tempo máximo de espera: 240 minutos. 

Vantagens do novo sistema

O Protocolo de Manchester é um dos métodos de triagem mais eficazes do mundo, pois ele permite que os atendimentos em hospitais sejam realizados de maneira muito mais rápida e eficaz, de acordo com a real necessidade dos pacientes, de forma justa e com tratamento imparcial para todos. 

Esse sistema também auxilia a prever a organização da unidade ao longo do dia, evitando superlotação e prevenindo falhas de atendimento, além de contribuir também para melhorar a eficiência de utilização de recursos de emergência, evitando o desperdício em condições onde não há agravamento do quadro clínico dos pacientes.

 “Tenho certeza que todos que precisarem de atendimento no nosso Pronto Socorro vão sentir e aprovar essa melhoria. Estamos nos colocando no mesmo patamar dos maiores hospitais do mundo nesse quesito”, complementa Cátia. 

Em paralelo à implantação do novo método de triagem, o Pronto Socorro do HSR está passando por uma reestruturação completa. Com a reforma, o hospital vai aumentar em 100% sua estrutura de atendimento de emergências, permitindo prestar assistências a mais de um caso crítico ao mesmo tempo. Além disso, serão criados 4 leitos de estabilização, que terão monitorização intensiva enquanto os pacientes aguardam estabilização e/ou encaminhamento ao outro centro.

A melhoria também prevê a separação do fluxo de acesso ao hospital. A porta da recepção será utilizada para visitas, cirurgias eletivas ou internações, enquanto a entrada do PS receberá atendimento de consultas conforme classificação de gravidade, separando os atendimentos por sintomas respiratórios ou não-respiratórios.