Português Italian English Spanish

Festiqueijo é idealizado por muitas mãos

Festiqueijo é idealizado por muitas mãos


Cerca de 250 pessoas, nas mais diversas áreas, que trabalham para garantir a melhor experiência aos visitantes

Carlos Barbosa -  Não são apenas os visitantes que aguardam ansiosamente pelo início do Festival gastronômico mais gostoso da Serra Gaúcha. Nos bastidores do Festiqueijo, a cada edição, um grupo de profissionais também se prepara para oferecer o melhor aos visitantes. Segurança, limpeza, bilheteria, administração, logística, almoxarifado, TI, alimentação são apenas algumas áreas envolvidas a cada edição.

O planejamento para essa 31ª edição começou bem antes de julho. A Prefeitura de Carlos Barbosa, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Turístico, Indústria e Comércio, e a diretoria voluntária, composta por dez integrantes da comunidade, iniciaram os preparativos em fevereiro. Com o passar dos meses, as contratações foram iniciadas e, de 1º a 31 de julho, são cerca de 250 pessoas que trabalham de forma integrada, às sextas, sábados e domingos.

A cozinha, considerada o ‘coração’ do Festival, reúne 60 profissionais na preparação dos 11 pratos do buffet. Além das delícias encontradas nos 24 estandes de expositores, quatro mesas, distribuídas no centro do Salão Paroquial da Igreja Matriz de Carlos Barbosa, proporcionam um verdadeiro banquete, com polenta brustolada com queijo, espetinho de frango e queijo coalho, pizza, galeto, salsichão, pastel de queijo, bolinho de queijo, bolinho de aipim e queijo, pastel de forno de maçã, churros de doce de leite, croissant de goiaba.

Tânia Heckler, é a responsável por coordenar o preparo dos alimentos da cozinha, para que sejam servidos no tempo e quantidade ideais. Duas horas antes de abrir a bilheteria, a cozinha já começa a preparação dos pratos.  Tânia trabalha desde 2006 no Festival e fala com orgulho da atividade. “Somos responsáveis em bem servir os visitantes e também os trabalhadores que almoçam e jantam no refeitório. “É um trabalho que me deixa feliz, me orgulha saber que o turista saiu satisfeito daqui”, comenta.

Dionísio Messinger, 73 anos, é o que tem mais tempo de cozinha no Festiqueijo, trabalha há 23 anos na preparação dos galetos. Neste ano, conta com a ajuda de mais quatro profissionais. É ele o responsável por cortar e temperar os frangos um dia antes do consumo e assar as centenas de unidades que a cada dia são saboreadas. “É uma satisfação enorme servir quem visita o Festiqueijo. Eu gosto muito de fazer isso”, avisa.

Mais dois finais de semana

Quem quiser aproveitar as delícias das 10 queijarias, nove vinícolas e demais espaços com variedades tem mais dois finais de semana, até 31 de julho, sempre às sextas, sábados e domingos. O Festival traz o melhor da gastronomia e dos vinhos, uma Vila das Etnias, a feira ‘Feito em Barbosa’ e muitos shows, tanto dentro do Salão Paroquial da Igreja Matriz como na área externa.

O cardápio inclui mais de 40 tipos de queijos e suas variações, 30 rótulos de vinhos e 25 de espumantes, sucos de uva, água, refrigerante, café, sorvetes e um buffet com 11 pratos. Para apreciar tudo com maior conforto, a diretoria criou a Área Vip. Com capacidade para 115 pessoas, possui serviço diferenciado, com espaço para sentar, a presença de chefs, garçons e uma ambientação temática.

Na área externa, com acesso gratuito, pode ser visitada a Vila das Etnias, que homenageia as 11 etnias que ajudaram a formar a população da cidade. As principais são as predominantes alemã e italiana, além da polonesa e suíça, cujos berços das imigrações no Rio Grande do Sul são na cidade. Pela sua representatividade, elas ganharam casas individuais na Vila das Etnias, instalada na Rua Coberta, ao lado do Festiqueijo. Uma quinta casa abriga conteúdos históricos, artísticos e culturais das etnias francesa, holandesa, espanhola, austríaca, ucraniana, luso-brasileira e de matriz africana, também presentes na localidade.

Quem circula pelo local pode apreciar hábitos e costumes, além de objetos preparados por associações que atuam na preservação de suas tradições. Exposição de fotos e objetos antigos, performances de trabalhos manuais típicos e uma agenda de shows de música e dança em um palco exclusivo para a novidade fazem parte da programação. Ali, também está instalado o varejo de produtos do Festiqueijo, assim como um forno à lenha onde o pão colonial é assado e comercializado aos visitantes. Entre os produtos típicos que cada casa oferece estão, ainda, uma oficina de capeletti, cucas, chopp, pierogi, Les Merveilles (grostoli suíço) e trufas de chocolate.

Outra atração externa e paralela ao Festiqueijo é o ‘Feito em Barbosa’. Instalada no Pavilhão da Tramontina, ao lado da Rua Coberta, a feira tem 28 expositores com 100% produção local. Os produtos são dos setores do vestuário, acessórios, papelaria, brinquedos, artesanato, alimentação, entre outras opções. A entrada é gratuita e acontece nos mesmos dias e horários do Festiqueijo, de sextas a domingos, até 31 de julho.